3 Mulheres

Outro dia uma amiga muito querida me mandou um email com uma pequena história intitulada «3 mulheres».
Não sou capaz de descrever o que senti ao ler essa história. Foi como se todas as células do meu corpo respondessem e se calassem ao mesmo tempo. Coração e útero se uniram em um sentimento de silêncio e pesar.
São poucas palavras, porém, que dizem muito. Traduzo e compartilho com vocês:
«Uma mãe caminhava com um carrinho de bebê (deduzo pelas roupinhas rosas que levava uma menina e que tivesse aproximadamente 2 meses).
A criança chorava copiosamente, movendo-se em sua «asséptica caminha», a mãe imutável se limitava a levar o carrinho e a olhar o horizonte; ao seu lado uma menina de 3 anos, cantando, aparentemente indiferente ao choro da sua irmãzinha, até que pararam para cruzar a rua e a pequena menina olhou para sua irmãzinha e disse: «fique quieta bebê! Basta!» em seguida sorriu e buscou o olhar de sua mãe e nem assim o obteve…
E assim caminhavam 3 mulheres unidas pelo abuso, pela submissão e pela indolência. Uma mãe com as entranhas mutiladas, incapaz de comover-se com a dor do seu bebê. Uma pequena menina em busca do amor e aprovação repetindo a linguagem do desamparo e do maltrato que conhece na própria carne e uma bebezinha aprendendo o abecedário da carência e da dor. Eis aí a semente da violência, a raiz desta sociedade do medo e da carência.»… desconheço o autor.
Etiquetado en: ,

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *


Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies